IDEOLOGIAS - Cá estamos, para mais um papo "descontraído", leitor. E vamos às observações mais descompensadas da face desse planetinha azul, só perdendo frente às dos nossos políticos.

1 - A voz rouca das ruas.

Bem, como todos sabem, gasto boa parte das minhas 22 horas [?!] acordado para fazer engenharia social, meu "curso paralelo para entender o mundo através do Orkut" - [ou pelo menos uma parte ínfima dele]. E nessas buscas importantíssimas para a sobrevivência da espécie humana [O RLY?] encontrei uma contradição a mim mesmo.
Agora o leitor pensa: "Expectatore se retratando? Será o fim dos tempos??"... a resposta é não. Só eu posso me contradizer, sem mais explicações, quanto ao meu post sobre as ideologias, e todo o blá-blá-blá. No Orkut [tá, sei que é com só minúsculas, mas, vá lá!], há uma batalha ferrenha entre direita e esquerda.

Primeiro, alguns "conceitos"...


BURGUESIA


Conhecidos em 98,7% dos países como "os donos da grana". Criadores de várias coisinhas que adoramos [ou não], como por exemplo:

os automóveis;
os iates;
o caviar [tá, isso foi uma má ideia];
as cédulas bancárias;
o Banco Imobiliário;
as mesas de sinuca com veludo azul;
os cachorrinhos que morrem se saírem ao sol;
os relógios criados para serem roubados;
o secador de cabelos;
o perfume nº 5;
a televisão a cores;
aquele óculos de um olho só, o monóculo;
etc. e tal.

PROLETARIADO


Sorria, você está aqui! Você não faz parte do 1% de burgueses ali em cima. Mas, os proletários tem muito para se orgulhar, talvez até mais que a burguesia!
Vejamos, somos inventores de...

grades de geladeira para secar roupas e tênis;
varais internos;
51 [essa sim, uma boa ideia!];
programa do Ratinho;
feijoada de domingo;
caderneta de fiado;
barcos pra fugir de Cuba;
mesas de sinuca com buracos no veludo;
cachorro vira-lata;
[insira o produto aqui] de "dérreal";
desodorante que diz que é 24 horas;
óculos escuros "Haybam";

Bem, já temos os conceitos. Isso aí em cima foi bolado por um carinha lá, que todo mundo já ficou de saco cheio uma vez na vida com ele - o Karl Marx. Ele tinha uma cabeça com várias ideias, e tentou escrevê-las todas [todas!] no papel... eis o resultado!



O Capital, edição compacta!
[Bendito seja o Kindle!]

E um conceito, a luta de classes, extrapolou as páginas desse livro. E como isso nos leva ao Orkut? Beeem... lá está bem escancarada a luta esquerda x direita, burguês x proletário, Tom x Jerry, enfim, o que você conseguir pensar. Pra quase toda comunidade "Eu [amo, adoro, gosto] [insira qualquer coisa aqui]" existe sua antítese "Eu [odeio] [qualquer coisa]". Inclusive no debate político.

"Mas peraí... político? Existe isso no Orkut?"
Pior que essa praga existe. E morri de rir com algumas comunidades, como "Capitalismo", "Socialismo" e derivados genéricos. Vi batalhas verbais furiosas entre os membros das ditas classes sociais! Mas... lembram do post onde disse que as ideologias morreram? Acordem, gente! O capitalismo não é eterno, assim como socialismo não leva a lugar algum - fato comprovado. Por isso, antes de levantarem muros por aí, pensem duas vezes. Isso tudo deve ser falta do que fazer, pois os ideologicamente libertados - que se dizem "fora do sistema" ou os defensores ferrenhos do status quo são farinha do mesmo saco. Estão como o carinha da figura:


Cegado por ideologias...

Por isso, a maior liberdade que temos nessa época é justamente a liberdade de não opinar. De não escolher um lado. Afinal, esquerda e direita são convenções - ... ultrapassadas. E socialismo e capitalismo são complementares - portanto, fiquemos quietos no nosso sistema de empresas privadas com previdência pública. E deixem o trabalho sujo para os sociólogos, economistas e juízes.

2 - A corrupção contra-ataca...

Bem, mais uma semana, mais um caso de corrupção. Desta vez, um "mensalão da oposição" do atual governo... e agora, teremos eleições dos "sujos falando dos mal-lavados"? Não é de hoje essa ladainha hein? Se bem que, é melhor que votemos direito. Será que agora acertaremos a mão, apesar da grande oferta da candidatos medíocres?? Melhor nem pensar muito no assunto. Coisas de 2010!



Eleições 2010 - Jânio certa vez propôs uma vassoura...
eu proponho um aspirador! Agora quero ver!

3 - Não, não estou revoltado. Só estou querendo atualizar mais o blog, e, se possível, não deixá-lo abandonado como em meses anteriores.

E pra quebrar o gelo ideológico - nada como Seu Jorge!

BURGUESINHA
Composição: Seu Jorge / Gabriel Moura / Pretinho da Serrinha
Vai no cabeleireiro
No esteticista
Malha o dia inteiro
Pinta de artista                  [o mundo pós-moderno, maravilhosamente descrito...]

Saca dinheiro
Vai de motorista
Com seu carro esporte     [vida difícil, hein?]
Vai zoar na pista              [detalhe pro zoar na pista - os burgueses estão acima da lei?]

Final de semana
Na casa de praia
Só gastando grana
Na maior gandaia            [pródigos!]

Vai pra balada
Dança bate estaca
Com a sua tribo
Até de madrugada          [onde o condomínio encontra o morro!]

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Só no filé                         [no contra-filé, pra ser exato.]  
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Tem o que quer                 [O RLY?]
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Do croissant                    [adoro croissants, faz 3 anos que não como nenhum... : ( ]
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Suquinho de maçã              [Eca! Suco de maçã! Maçã se come! Suco, só de maracujá!]


O detalhe dessa música... fica difícil saber se o tal eu-lírico é apaixonado por tal exemplar burguês ou se é apenas uma crítica ao modo de vida carpe diem da dita-cuja...

E mais uma diversão, capitalismo e vacas! From Desciclopédia!

  • Capitalismo Ideal: Você tem duas vacas. Vende uma e compra um touro. Eles se multiplicam, e a economia cresce. Você vende o rebanho e aposenta-se, rico!
  • Capitalismo Americano: Você tem duas vacas. Vende uma e força a outra a produzir leite de quatro vacas. Fica surpreso quando ela morre. Então você invade um país árabe dizendo que eles ameaçam a democracia mundial porque têm armas de destruição em massa, e rouba as vacas deles.
  • Capitalismo Francês: Você tem duas vacas. Entra em greve porque quer três.
  • Capitalismo Canadense: Você tem duas vacas. Usa o modelo do capitalismo americano. As vacas morrem. Você acusa o protecionismo brasileiro e adota medidas protecionistas para ter as três vacas do capitalismo francês.
  • Capitalismo Japonês: Você tem duas vacas. Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produz 20 vezes mais leite. Depois cria desenhinhos de vacas chamados Vaquimon e os vende para o mundo inteiro.
  • Capitalismo Italiano: Você tem duas vacas. Uma você mata, quando tenta forçar ela e fabricar queijo diretamente da teta e com a outra você resolve experimentar salame de vaca. Vende o salame de vaca para todo o mundo e fica rico.
  • Capitalismo Britânico: Você tem duas vacas. As duas são loucas.
  • Capitalismo Holandês: Você tem duas vacas. Elas vivem juntas, não gostam de touros e tudo bem.
  • Capitalismo Alemão: Você tem duas vacas. Elas produzem leite regularmente, segundo padrões de quantidade e horário previamente estabelecido, de forma precisa e lucrativa. Mas o que você queria mesmo era criar porcos.
  • Capitalismo Russo: Você tem duas vacas. Conta-as e vê que tem cinco. Conta de novo e vê que tem 42. Conta de novo e vê que tem 12 vacas. Você para de contar e abre outra garrafa de vodka.(Essa campanha é patrocinada pela Reversal Russa. "Na União Soviética, 2 vacas tem você!")
  • Capitalismo Suíço: Você tem 500 vacas, mas nenhuma é sua. Você cobra para guardar a vaca dos outros.
  • Capitalismo Espanhol: Você tem muito orgulho de ter duas vacas.
  • Capitalismo Polonês: Você tem duas vacas. Seu time perde, você bebe, briga com as duas e as mata.
  • Capitalismo Português: Você tem duas vacas. E reclama porque seu rebanho não cresce...
  • Capitalismo Chinês: Você tem duas vacas e 300 pessoas tirando leite delas. Você se gaba de ter pleno emprego e alta produtividade. E prende o ativista que divulgou os números.
  • Capitalismo Hindu: Você tem duas vacas. Ai de quem tocar nelas.
  • Capitalismo Mexicano: Você tem duas vacas, sobe em uma e vai para os EUA.
  • Capitalismo Etíope: Você não tem duas vacas.
  • Capitalismo Sul-Coreano: Você tinha duas vacas, com a divisão das Coreias, você passou a ter apenas uma. Então os Americanos doam 3 mil vacas para você fazer inveja no seu vizinho do norte.
  • Capitalismo Porto-Riquenho: Você não tem duas vacas, mas é cidadão estadunidense.
  • Capitalismo Palestino: Você tem duas vacas. Os judeus as tomam e te dão uma codorna pra você criar na faixa de Gaza.
  • Capitalismo Judeu: Você tem duas vacas. Vende uma, recebe o dinheiro e não a entrega. Quando o comprador vai reclamar, você o chama de antissemita, nazista e continua com a vaca.
  • Capitalismo Iraquiano: Você tinha duas vacas. Com a invasão dos EUA você perde uma. Então troca sua única vaca por um carro bomba e mata aqueles filhos da p***.
  • Capitalismo Gaúcho: Você tem duas vacas. As vende e compra carne de vaca argentina.
  • Capitalismo Argentino: Você tem duas vacas. Você se esforça para ensinar as vacas mugirem em inglês. As vacas morrem. Você vende uma delas para os gaúchos, e a outra você faz um churrasco de final de ano pros diretores do FMI.
  • Capitalismo Brasileiro: Você tem duas vacas. Uma delas é roubada. O governo cria a CCPV- Contribuição Compulsória pela Posse de Vaca. Um fiscal vem e te autua, porque embora você tenha recolhido corretamente a CCPV, o valor era pelo número de vacas presumidas e não pelo de vacas reais. A Receita Federal, por meio de dados também presumidos do seu consumo de leite, queijo, sapatos de couro e botões, presumia que você tivesse 200 vacas e você vende a vaca restante para pagar as multas e os acréscimos legais e ainda adere ao programa do governo chamado REFIS para parcelar o restante da dívida com atualização da TR mais juros por 120 meses. 
E É SÓ! [Só?? Da próxima vez, vou escrever uma linha só, ufa!]



Bem, quanto a mim... acho que sempre há burgueses [e principalmente, burguesinhas!] adoráveis! E fiquemos todos juntos, pois se eu sei todos os ônibus de memória, o burguês sabe os aviões. E assim, quando eu precisar pegar um avião [vida ou morte], ou ele precisar de um ônibus [o carro quebrou: vida ou morte, também!], estaremos em contato, para proveito mútuo!





Para alegria geral, um gato capitalista, da Desciclopédia! Até mais!

"A conference is a gathering of people who singly can do nothing, but together can decide that nothing can be done" - Fred Allen, comediante americano. [Uma previsão para Copenhague?]

Créditos das figuras e textos ctrl-c, ctrl-v:
Tio Patinhas - http://kittyprado.wordpress.com/2009/07/24/the-forbes-fictional-15-os-ricacos-da-ficcao/
Busão - http://profissionaloracle.com.br/blogs/portilho/2009/10/18/testes-de-desempenho/
Das Kapital - http://homepage.ntlworld.com/rosa.l/
Carinha com a TV na cara - http://anivelde.org/viagemvertical/wp-content/uploads/2009/10/tio_tv.jpg
Aspirador - http://www.redeclub.com.br/produtos/ASPIRADOR.jpg
Letra de "Burguesinha" - http://letras.terra.com.br/seu-jorge/1089741/
Desciclopédia - Capitalismo - http://desciclo.pedia.ws/wiki/Capitalismo
GARGÂNTUA E PANTAGRUEL - Salve, leitores da blogosfera... como é de praxe, após uma indefinida recaída para o mundo real, Expectatore está de volta para comentar alguns fatos importantes, e outros, nem tanto. Mas, como é do interesse comum [melhor dizendo, meu interesse] a continuidade do blog, aí vai mais um post.

"Mas, ô Expectatore, quem diabos é Gargântua? E Pantagruel?"

Calma, curioso leitor. Gargântua e Pantagruel são gigantes comilões. Têm vidas "horrendas" e "obscenas", são personagens de um livro de Rabelais. Daí surgiram expressões como "banquete pantagruélico" e outras.



Típico exemplar em um banquete pantagruélico...

"Ok, estou satisfeito. E o que isso tem a ver com o post de hoje?"

Bem, absolutamente nada. Só achei que um pouco de cultura não faz mal a ninguém.
"Ou seja, lambam-se uns aos outros." Frase dita solenemente em um seminário universitário, em Espanhol.

 Bem, após essa cultura em conta-gotas, para os ávidos leitores sedentos por conhecimento [ô mentira deslavada, se você quisesse conhecimento, estaria lendo o site da National Geographic, e não isso aqui], vamos a assuntos mais relevantes...

O amor nos tempos do celular.

Bem, leitor. Um dia, na minha caminhada corriqueira pelo bairro, resolvi tirar os olhos do chão [é, não adianta, sempre olho pro chão] e olhar para frente. Vi então um simpático casal, descendo a rua de mãos dadas. Ah, o amor... Mistura volátil de neurotransmissores! E eis que noto que, apesar das mãos, estão em planetas diferentes. Ele e ela, ambos, os dois, falando ao celular! Peraí, né! Ou estou desatualizado, ou a moda agora é chamar as pessoas para dar voltas, cada um no seu telefone. Daí, elas andariam até o final das baterias... e voltariam para casa? Lição de moral: desligue o celular em velórios, provas e quando estiver com seu par.



Celular ultramoderno com câmera,
Quem não quer um desses, hoje em dia?

Bem, fiquei com muito sono para continuar postando. Fiquem com essa mierdinha até um futuro próximo. Até breve.



"O somatório de x vezes p(x) é igual a 252/36, que é igual a 7. Se não for, você chama a polícia." - Professor de Estatística, em um mundo distante.
O QUE VAI, VOLTA - Bem, aqui estamos, após um hiato "razoável", gramáticos leitores disso aqui. E como sempre, vou brindá-los com aquela combinação de sério e estapafúrdio a que estão tão habituados. Afinal de contas, Internet é pra essas coisas, não é mesmo? [Nem venha com a velha história de que é importante ferramenta acadêmica - isso ela deixou de ser desde a popularização dos MMORPGs, em algum tempo não muito distante :p]

Beeeem, voltemos dos devaneios. [intelectual mode:on]Por culpa de obrigações curriculares não-procrastináveis, abstive-me de expôr minha produção "cultural". [milhões de aspas] [intelectual mode:off] Mas já que o que para é poste - dependendo do referencial, segundo o professor de Física do já distante colégio, voltemos às boas.

E já que falamos na Física, esse dragão adormecido... quer algo mais "fofo" que partículas subatômicas? Quem não se lembra de quando, todo exultante, foi dizer à querida mamãe que tinha decorado os seis tipos de quarks conhecidos? [Bem, as pessoas ditas normais fizeram isso...] E quando você começou a ter aquelas viagens sobre a luz, se outros enxergavam as mesmas cores que você, e que as rosas vermelhas - pasmem, românticos - com absoluta certeza não são vermelhas?

Um versinho escavado na Internet... atentem para a musicalidade.

Roses are #FF0000
Violets are #0000FF
ALL YOUR BASE ARE BELONG TO US! [o inglês é esse mesmo, pesquise isso no Google e veja!]


[Com certeza isso foi o que escrevi de mais nerd por aqui, fora os posts sobre W40k.]

Voltando à Física de partículas... sim leitor. Existe algo terrivelmente mais "fofo" que partículas subatômicas. São partículas subatômicas de PELÚCIA!





Fato 1 - Não basta ser nerd a ponto de criar partículas de pelúcia... é preciso organizá-las em ordem de massa em elétron-volts... [para vocês, presente!  1 eV = 1,60217646 × 10-19 joules]


Fato 2 - Imagine-se num mundo perfeito - você chega em casa, do seu emprego nada cansativo, com uma esposa(o), digamos, perfeita(o). E claro, filhos lindos. [Doce devaneio!] Daí, o menor chega e agarra sua perna, perguntando se você tem presente pra ele hoje. [Interesseiro!] Você tira de dentro de uma sacola um gráviton de pelúcia todo pimposo [?] [ê, consumismo!] e entrega a ele. O Jr. faz uma cara de desapontamento, e diz pro irmãozinho: "Veja só, de novo ele(a) traz mais uma dessas partículas hipotéticas..." Resumindo - Ignorância é uma bênção. O mundo é um lugar melhor quando as crianças não sabem Física.

Caso interessar, o site das partículas é http://www.particlezoo.net/.

Continuando com a Física, aí vai o tradicional vídeo do YT. Desta vez, um maluco imprime um buraco negro na máquina de xerox [tecnicamente, um wormhole... mas ninguém quer saber. :X] e o utiliza para "fins escusos." Mas, como o Zé Nilton [Sir Isaac Newton para os antiquados] já dizia, toda ação tem uma reação... deliciem-se.







*Em tempo, obrigado ao Google por tornar a vida mais simples com esse novo editor!

Momento de pensamento, agora!!... Peço que as crianças se retirem da sala. Você, decifrador de sinais literários, já parou pra pensar em como o nosso mundo é complicado? Em como qualquer tentativa de resumi-lo termina em palavras vazias? O poder sobre esse planeta foi motivo de brigas por toda a [ínfima] história humana. E nunca, nunca, tivemos uma real dimensão do problema. Pois proponho o resumo do mundo em um texto. Melhor, numa palavra! Melhor ainda, numa letra! Mas, pra quê ser prolixo nisso, não é? Menor que uma letra? Éééé... seus problemas terminaram.


Senhoras e senhores, a Terra em um pixel!
Pale Blue Dot, segundo a Voyager!
Créditos: Wikipédia

Ou seja, debrucemo-nos menos sobre os conflitos, e procuremos conviver pacificamente nesse mundo pequeno demais para nós quase 7 [bilhões]... e dividamos bem nosso km² com as outras 44 pessoas condenadas igualmente a viver sob esse mesmo teto - de belo azul durante o dia e à noite, iluminado pela certeza de outros mundos. [Parágrafo literário, sem deixar de ser científico! Carl Sagan anda provocando efeitos adversos no meu cerébro...]

Em falar nisso, nova leitura... adquirido de um "livreiro misterioso", Cosmos, obra homônima da série de TV dos anos 80, escrita magistralmente por Sagan. Recomendo!

...Crianças, voltem, por favor!

2012... vocês têm medo??

Caro leitor pseudocientífico... sinto desapontá-lo, mas não é dessa vez que o mundo acaba. Imagine! Os maias, apesar de todo o seu conhecimento astronômico, sacrificavam humanos para manter o Sol no céu. Então, desde o fim dos sacrifícios, o mundo já teria acabado milhões de vezes! Mas, se há um fim, ele seria assim...

O fim dos tempos, uma leitura expectatoriana...


"(...) E no final da contagem maia, travará-se a batalha do final dos tempos, na planície paraense conhecida como "Planície do Apocalypso." Sons excruciantes sairão dessa infame localidade [já não saem?], afetando os cérebros de todos no mundo. Escolhidas as armas, e o Pokémon de preferência, digladiarão-se entidades mortais [eu, você, sua avó etc.] e imortais [Dercy Gonçalves, Silvio Santos etc.] em uma luta que só terá fim quando vermos que besteira alucinada é essa de achar que está tudo acabando. Mania boba de achar que o Universo gira em torno do homem. Como já foi esclarecido, moramos todos num pixel solitário em algum canto de uma galáxia nanica. Por isso, usem seus scrolls of town portal para retornar às suas bases."




Scroll of town portal - Warcraft III [350 gold]


Acho que chega por hoje. Se eu esgotar minha capacidade criativa aqui, o que vou escrever no resto do mês, afinal? Boa semana a todos.







"Those afraid of the universe as it really is, those who pretend to nonexistent knowledge and envision a Cosmos centered on human beings will prefer the fleeting comforts of superstition." - Carl Edward Sagan, astrônomo americano
TEMPOS MODERNOS - Bem-vindo, clássico leitor desse "humilde" blogueiro que vos fala! Lá vai meu alter ego novamente expor seu pontos de vista totalmente arbitrários, sem seu consentimento...

Vamos ao busílis!

1 - O "curto" século XXI - Bem, acredito que a maioria dos leitores aqui tenha nascido no "longo século XX" [crianças até 9 anos, sinto muito]... se há leitores do já distante século XIX, meus cumprimentos! Bem, chamo nosso atual século de "curto" porque, se formos comparar, na primeira década do século passado, o mundo passou por transformações gigantescas - até 1910, foram inventadas coisas (como a linha de montagem de Ford) que moldaram o resto do período de cem anos. E este século XXI? Um atentado terrorista? Tsunamis? Ditadores malucos com armas nucleares? Definitivamente, não é a melhor das eras! Se forem esses os indícios de como será o século, pode ter certeza que de 2012 nós não passamos. [Aquela velha profecia maia... como em 1999, 2000, 2008... e por aí vai - SEMPRE há uma profecia.]

Mas, teria nossa época alguma coisa boa? É claro que sim! Se nos atermos ao ponto de vista comparativo, realmente vivemos em meio à mierda. Mas [sempre existe um porém], temos avanços em áreas longe do campo industrial, bélico e político [tão desacreditados]. Temos arte, temos tecnologia, temos [até agora, pelo menos] liberdade de expressão [pelo menos aqui no Brasil]! E é emocionante pensar que é isso que restará para a história que nossos netos estudarão...

1 - Música! E Tecnologia.
Você também acha que nossos netos ficarão horrorizados com os funks "proibidões" que hoje escutamos por aí? A resposta é... não! Há sempre uma passagem, e o que sobrevive ao test of time [Civilization 2? auhasuahusa] é o melhor de cada época. Nos anos 70, tivemos vários movimentos musicais - o que restou? Beatles é um bom exemplo. Tudo aquilo obscuro e sectário não resiste à Kronos.
Procurando o que fazer, nesta sexta-feira passada, digitei "piano" por curiosidade no YouTube. [Está claro que adoro esses instrumentos - o tecnológico e o musical.] E encontrei uma composição dita "modern classical piano" - com poucas visualizações, mas vários comentários positivos e classificação 5 estrelas. Por curiosidade, deixei carregando e fui usar meu PC como "visualizador de Orkut e MSN". Quando voltei à página, dei o play. E fui atingido por uma espécie de estado de euforia! Escutei a música 4 vezes seguidas!!! E, desde sexta, todo dia venho escutando pelo menos uma vez. E tem mais: e daí se classificarem a música dele como qualquer outro estilo? Ela é clássica, no sentido puro da palavra - que nada tem a ver com antiga. É um exemplo do que passa pelas areias do tempo.

O instrumento musical - simplesmente...
Créditos: Wikipedia


*Viva! Aprendi a colocar o vídeo direto no blog!*

2 - Tecnologia! E liberdade de expressão.
Atire a primeira pedra quem nunca tirou trabalhos escolares da Wikipedia. Quem nunca digitou bobagens no Google. E quem nunca assistiu a um vídeo no YouTube. A Internet [faço questão da letra maiúscula] é a ferramenta que nos deu acesso ao mundo pleno de conhecimento. Finalmente, podemos ver a notícia sem a carga político-ideológica dos grandes veículos. Há revoluções no Twitter. É a tecnologia usada como arma - mas em defesa do nobre ideal "Eu falo o que bem entender, lhe dando direito à defesa." A infinidade de humor, notícias e saber encontradas na nossa rede é fascinante. Somos muito mais inteligentes e críticos hoje do que as massas "político-ideológica-idiotizadas" do início do século XX.
Claro que com o bombardeio de informações, "Todas as luzes se acenderam ao mesmo tempo." [Ensaio sobre a Cegueira], e temos de tomar cuidado para não terminarmos como "sábios digitais" - que tudo sabem, mas nada conhecem a fundo. E claro, evitando a futilidade - mas isso é muito idiossincrático para ser aqui discutido.

O PC dos sonhos dos governos totalitários...
"Só o führer tem a chave!"
Créditos: Portal Mie

3 - Liberdade, ou liberdade.
Vemos por aí tentativas de imposição de censura à Internet. É o maior dos absurdos já pensados! A Internet foi construída pela colaboração de anônimos, por isso ela é de posse coletiva. É hipocrisia falar em "filtros", por exemplo. Sites onde você pega vírus? Com uma breve pesquisa no Google, você fica sabendo [com coisa que você não sabe... ¬¬ ;p]. Se esses "filtros" pegarem, ficaremos em situação parecida com a dos países fechados - o governo [esse, com letra minúscula] monitorará nossas ações, e escolherá o que ele considera bom ou ruim para seus cidadãos. E então, voltaremos no tempo, até o século XX. E nos lembraremos que o Nazismo também queimou a cultura em praça pública...

Queima de livros em cidades universitárias alemãs pelo regime nazista, em 1933.
Créditos: Deutsche Welle

Fiquem por aí... até o próximo post!


"Onde se queimam livros, acaba-se queimando pessoas." - Heinrich Heine, poeta.


EXPERIÊNCIA - Bienvenidos, super-leitores dessa coisa aqui. Em mais um fim de semana [como prometido] volto a postar as divagações sem noção nessa lixeira chamada Internet. Mas, como remexer o lixo às vezes traz algum resultado satisfatório [pelo menos, não exportamos cointeineres cheios dele... ¬¬], vejamos algumas coisas por aí. Por que bienvenidos?

1 - Campanha "Assista a filmes legendados" : ok. Você diz por aí que não assiste filmes com legendas porque não consegue acompanhar o que está na tela e ler ao mesmo tempo? Qual é o seu problema, dislexia??? Pior é quando uma pessoa com esse argumento força todos os outros a essa experiência assustadora que é a dublagem. Não generalizando, of course, porque dublagens de animações [vide Era do Gelo, Up - altas aventuras e Os incríveis] e de alguns seriados [exemplo perfeito? Chaves!] são muito bem realizadas, e contribuem pra torná-los fenômenos culturais. Uma desculpa pra ver dublado? Como diz um amigo, é quando a legenda é branca e o filme se passa em lugar com neve... amém, nesse caso.

Um vídeo para apoiar essa campanha... já pensou no Senhor dos Anéis, versão mexicana? Veja a dublagem de Sam [ele fala pouquíssimo no trailer, como TODO coadjuvante] e depois me diga o que achou! Ashuahushua...

LINK PARA O TRAILER

Pensando bem: acho que nem precisa de neve!
Créditos: HT forum

2 - Mais YouTube: essa semana, com o descanso [merecido] que tive das minhas obrigações, pude assistir mais YT [Tv? Isso existe ainda?]... e achei um vídeo muito bonito mesmo, sobre o resumo da vida de um old guy usando uma trilha sonora fantástica. Alguns choram, outros ficam pensativos e metade se suicida, mas, 2 milhões de visualizações não é pra qualquer um.

LINK PARA A ANIMAÇÃO

3 - Malditos Sectoids! Nessa noite de sexta pra sábado, sonhei a noite inteira com aquele jogo de 1993, Xcom - UFO Defense. E olha que nem joguei o maledetto nos últimos seis meses. Apesar de não acreditar em premonições ou coisa do gênero, isso reativou minha vontade de jogar essa coisa. Sites de Abandonware, aí vou eu! Por que "malditos sectoids"? É que os sectoids são uma espécie de peões do jogo, pau-pra-toda-obra, e costumam aparecer nas primeiras missões. E não é que no meu sonho tinham quatro deles praticamente fazendo uma party em frente aos meus soldados? E quando fui ver as armas carregadas, WTH... meus soldados usando crossbows??? [É aí que percebi que estava sonhando...] Experimente você também o tataravô de todo Real-Time Strategy game. [Apesar de ser em turnos, há várias inovações, como o mapa em tempo real. Chega de ladainha, aí vai o link pro download - legal - dessa maravilha.

Maldito Sectoid! Sofra a ira de meus crossbows!
Créditos: UFOPAEDIA

Para os normais - isso é um crossbow. Meio rudimentar para caçar aliens, não?
Créditos: Stormfront

ABANDONIA [clique para o download. Ahh... e um detalhe. Da série, compensa somente o primeiro mesmo... o 2 é um remake mal-feito, e o 3 é um spin-off...]

4 - A volta de Rise of Nations - continuando a parte nerd, só um pequeno comment sobre ter redescoberto meu cd desse jogo de estratégia fantástico escondido dentro de uma caixa. Nada como reviver os bons tempos quando você sabia de cor as hotkeys dos seus jogos. Enfim, uma pérola - apesar dos gráficos meio ultrapassados já para a época - que merece a menção por aqui.

Rise of Nations - o primeiro jogo onde as tropas não falam!
Gamespot Game of the Year - 2003
Créditos: Google Imagens. Onde peguei a imagem, tem vírus, por isso não vou mencionar.

Bem, por hoje é só. Postarei mais em breve, coisas mais abertas a todo o público... [esse post foi beeem fechado aos não-gamers, convenhamos]

Tenham um bom dia. Ou não.

"Para bom entendedor, meia palavra bas." - Ditado popular ao pé da letra.

REINAUGURAÇÃO - Sejam novamente bem-vindos, laboriosos leitores de Expectatore [cada dia fica mais difícil arranjar adjetivos...] Como podem ter percebido [ou não], o blog está de cara nova, fruto de uma [árdua] pesquisa por sites de Templates na net. Espero que gostem do novo visual!

Mas [porém, todavia, no entanto, entretanto, contudo...], você provavelmente não entra em blogs pela capa, mas sim pelo conteúdo. E a falta deste já começa a ter encher o saco nesse post, não?

Vamos à luta!

* Antes, um lembrete - Reinauguração escreve de que maneira? Com hífen, sem hífen, com dois erres no começo, troco o "I" por "Y"? Depois dessa [inútil] reforma ortográfica, só sei que nada sei.
Direto ao ponto. Ou, a dois deles.
Créditos: Site do Evandro

O descanso de Michael Jackson - como esse cara rende! Finalmente [dizem], ele foi enterrado. Sabe, vou fazer só uma linha pra deixá-lo descansar. A última coisa que quero é um fantasma do MJ fazendo moonwalk aqui no apartamento. [Apesar de não acreditar nessas coisas...]

Um cogitado caixão "Double Deluxe" do MJ - em alguns aspectos, melhor que minha cama.
R.I.P., Michael.
Créditos: Portal O Dia

Aliens? - como é de praxe, compartilharei com vocês mais um vídeo youtubiano. Desta vez, um muito engraçado sobre o projeto SETI - que busca mensagens extraterrestres vagando por aí.

Os aliens se divertem!
Bobos somos nós que ficamos por aí procurando!
Créditos: Not Just Movies

Éramos três! - em tempos de wireless se difundindo por aí, para os curtos de grana, a alternativa ainda é o "cabo azul de rede velho de guerra". Imagine a lambança para se ligar um PC ao outro - o cabo passando por baixo da porta [ou por cima], serpenteando pelo corredor até chegar. Agora, multiplique uma conexão [pseudo-banda-larga de 300k] de Internet por um hub de oito portas, e some tudo com 3 pcs - vai dar uma função exponencial o número de cabos! Socorro, estou afundando numa massa azul de plástico e cobre!

Instruções: ligue o fio A023 no plug 012a-b
FFFFFFFFFFFUUUUUUUUUUU!!!
Créditos: SOHO


Uma imagem mostrando porque parei de jogar no PC em dias úteis.
* Comentário bem feito no fórum:
"What on Earth?!?! Dude's his own party!"
Créditos: Daily Gamer

Bem, por hoje é só... com tempo, voltarei a ter mais ideias. Pelo menos a mudança aqui não vai passar despercebida!


“Você deve compreender que a mudança é inevitável e quando direcionada para o amor e a auto-realização, é sempre boa.” - Leo Buscaglia
, professor, escritor e ensaísta.


O ENCONTRO - Olá, filosóficos leitores dessa humilde experiência mal-sucedida; Aqui está mais uma vez, para lavar a sua cabeça com a "água da batata dos conhecimentos", eu. E vamos aos fatos, já que postar aqui anda mais difícil que andar sobre a água. Ou não.

- Schopenhauer, Erística e temas complicados que ninguém [mesmo] hoje quer saber.

Calma, leitor engajado. Antes de bater o "X" na janela [espero, do Firefox], entenda que não estou dizendo que o "tio Schope" seja inútil. O que quero dizer é que a Filosofia caiu de moda. Em muitos círculos acadêmicos, os amigos do saber são bastante excluídos, um preconceito infundado, mas alimentado pela teoria do "sobrou, então vai pra Filosofia", observada a partir das notas nos vestibulares.

Digamos três coisas importantes.

1 - Nota nunca quis dizer nada. E nem dirá, porque a metodologia é falha. Hoje, estuda-se para ser posto à prova, não para conhecer o que se aprecia. É possível ter notas altas sem ética. Ou com uma boa memória - sem interesse, no caso. Ou com os dois fatores.

2 - Sabe as rixas entre cursos na faculdade? Pense antes de falar da Filosofia. Afinal, se existe alguma matéria que pode chamar TODAS as outras de "sub-cursos", essa matéria é a Filosofia.

3 - Porque a Filosofia perdeu adeptos?

Essa terceira questão tem inúmeras respostas. Seria hoje o mundo "auto-resolvido" o bastante para defenestrar a Filosofia? Claro que não! Prova disso é que ela permance contemporânea até que seja contestada. Outra vantagem da Filosofia é esta: se você discorda de algum filósofo, escreva um livro contra ele! Essas brigas renderam boa parte da nossa Ciência.

Filosofia não importa? É por isso que a imagem acima se repete.
E, aproveitando: nota em prova é real? Sim ou não?
Créditos: Só Filosofia.

Falando empiricamente, fui apresentado a esse novo Universo pelo acaso: um tempo perdido que me possibilitou ler um livro. Já tinha lido sobre alguma coisa nos tempos da escola, mas o livro Como vencer um debate sem precisar ter razão - de Arthur Schopenhauer [com bela introdução de Olavo de Carvalho, intelectual "raivoso" brasileiro] [em tempo, título original, Dialética Erística]... Na introdução, Carvalho desfaz a bagunça feita por Schope nos conceitos aristotélicos de Dialética [o debate pela verdade, simplificando a definição ao extremo] e a Erística [debater para vencer, não para buscar a verdade.] Por Dialética Erística, Schope propõe o uso de 38 estratagemas para convencer, ou até mesmo coagir o adversário a aceitar sua razão, mesmo que ela não exista! Em resumo, um guia para se entender muitos aspectos, da grande mídia à Política, passando pelo mercado profissional e pela sala de aula.


O "Tio Schope" - pessimista que só ele...

Créditos: http://people.bu.edu/wwildman/WeirdWildWeb/media/galleries/philosophy/philosophy_gallwmodearly.htm

Depois de tanto pensar, olha o cabelo...
Créditos: Jewish World Review

Mas, voltando ao assunto... o que seria o tal "Encontro" mencionado no limiar superior desse post? O meu com a Filosofia? Não, ainda não cheguei a esse grau de egocentrismo. O encontro é entre o prussiano de Danzig e o mineiro de Itabira. Entre Schopenhauer e Carlos Drummond de Andrade. Um dos meus poemas favoritos de Drummond é o Congresso internacional do medo - e por meio das recentes leituras, cheguei a um paralelo, que aqui compartilho. Primeiro, os versos;

Congresso internacional do medo

Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio porque esse não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte, depois morreremos
de medo e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.

[Carlos Drummond de Andrade]

Drummond filosofando - porque a leitura é só o começo...
Créditos: Blog Cella, Poemas.

Filosofando, talvez o desinteresse da maioria pela Filosofia - chegando até ao desprezo, em certos casos - seja reflexo do ambiente. O mundo que "provisoriamente" [como as MPs do governo] não canta mais o amor, canta o medo. Claro que ainda há uns poucos que se privam de cantar "o medo, nosso pai e nosso companheiro", mas a indiferença provocada pelo temor geral faz com que não sejam notados. Quem são esses poucos? São os filósofos! Que não abaixam a cabeça para mães, ditadores, democratas, ditadores e seus soldados. Que levantam do túmulo da indiferença e despedaçam a flor amarela idiota da morte. Que resgatam o amor próprio da humanidade do bunker quase impenetrável da ignorância. E que nada temem em represália, pois "não cantaremos o ódio, porque esse não existe".

Depois dessa defesa, espero que comecem a abrir os olhos, e a se levantar dos seus túmulos também. Afinal, o futuro não é imaginado de forma distante - é pensado com sinceridade e amor, antes de mais nada.

Paz e humanidade, até mais.

"Há um certo gosto em pensar sozinho. É ato individual, como nascer e morrer." - Carlos Drummond de Andrade.
HOMENS-PALITO - Olá, acompanhantes deste humilde blog. Após uma verdadeira era do gelo, digno-me a postar novamente nesse papel higiênico mental chamado de Expectatore. [Peraí, mas Expectatore não sou eu? ¬¬] Tá, os nomes do criador e da criatura coincidem. Como diriam os outros - coisa de gente individualista prepotente.

Chega de lamúrias pessoais - se quiserem isso, procurem algo mais emo por aí. Aqui, aprendemos somente que a mierda é tão necessária quanto a comida sobre a qual escrevi outro dia. Pois então, "obremos".

Como diz o já distante título desse post, falarei sobre os personagens tão presentes no cotidiano dos estudantes entediados [ou não] e seus desdobramentos. Os famigerados homens-palito surgem de um momento de distração, e logo multiplicam-se assustadoramente sobre o papel onde foram lançados. Sob um aspecto - lembram os seres humanos. "Seriam os HPs reflexos de uma consciência perturbada?" "Uma válvula de escape para as contenções a que somos submetidos?" Ou disse mierda sem sentido nessas duas últimas frases?


Homem-palito, ou HP;
Uma imagem vale mais que mil palavras.
Créditos: Desciclopedia - excelente artigo!

Análise da criação de um Homem-palito.
Relatório da UNESCO para uma educação mais, digamos... , relaxada.


I - As crianças de todo o mundo, com a semente do "instinto criador" - quando pegam em um lápis pela primeira vez, são impelidas a representar os familiares e o "educador" na forma de HPs. Interessante ressaltar que isso é assim em QUALQUER parte do mundo. Dê um lápis a uma criança afegã. Ela fará um HP.

II - Por motivos educacionais, recomenda-se não reprimir os pequenos por desenharem uma indecorosa "terceira perna" nos HPs. Com o desenvolvimento das capacidades motoras, eles logo perceberão o erro. E talvez, percam também um pouco da inocência. Ou não.

III - Para assombro da parte moralista da sociedade, os HPs são bissexuais. E hermafroditas. Basta um vestidinho e o "papai" da figura passa a ser a "mamãe". Como diria o tio Voltaire - preconceito é a gente que põe na cabeça das crianças.

IV - Adoro numerar em romanos. Dá um toque de Judiciário a essa coisa aqui.

V - Os HPs representam a utopia de um mundo mais igualitário. São todos iguais. Frequentemente, são vistos dando-se as mãos em atitude fraternal. Também não mostram - pelo menos a princípio - emoções. Posteriormente, a criança começará a incrementar suas criações.

Após esse pequeno artigo, nada melhor que uma anotação arqueológica sobre os primórdios dos HPs.

Diário do Professor Karl Stout Athoa - Egito Britânico, 1908.

4º dia de escavações -
"Isso é incrível! Bem debaixo de nossos pés, uma magnífica cidade feita por adoradores do deus Palitórus. Há inscrições por toda uma parede, seguida de palavras ainda não traduzidas. Encontramos várias esculturas também, inclusive uma 'roda' de pedra de raio igual a dois metros. Parece o resto de uma colossal cabeça de estátua. Amanhã vamos arrombar a porta. "

A tábua hieroglífica do professor Athoa
Note os dois homens-palito na segunda linha!
Créditos: fechei a aba antes de ver.

Um detalhe - o professor Athoa nunca mais foi visto. As palavras não traduzidas eram palavrões; alguns dizem que Karl encontrou Palitlântida - a cidade submersa [!] [no deserto?] - e resolveu ficar por lá. Teria ele sobrevivido ao ritual de palitização? Perder as expressões, a massa corporal e a terceira dimensão? É muito pra mim.

Bem, escreverei com mais frequência daqui por diante. E talvez continue esse post sobre os HPs... sempre faço os meus, como solução para passar o tempo. Só espero que nunca se revoltem. Nem se multipliquem. Nem se matem. Nem se amem. Enfim, que não sejam humanos como nós.


Até a vista!

"O preconceito é uma opinião sem julgamento. Assim em toda terra inspiram-se às crianças todas as opiniões que se desejam antes que elas as possam julgar." - Voltaire.
A GENTE NÃO QUER SÓ COMIDA - Salve, destemido leitor dessa mierda. Após uma série de posts sobre política e jogos - coisas do mundo real [ou não], volto a falar das besteiras a que todos estamos tão acostumados ao clicar nesse blog obscuro. E quer melhor assunto que comida? Expectatore tem alguns dotes culinários. Não muitos, mas o suficiente para não morrer, kkkkkkk.
Comecemos com cinco alimentos que nunca te deixarão na mão.

1 - Miojo: sim, Ele mesmo. O objeto vindo de outro planeta [mais exatamente, do outro lado desse mesmo] para acabar com a fome entre estudantes, bancários e pessoas sem sorte na cozinha. Pode ser comido até cru, imaginem! Dizem que foi criado milagrosamente por um alquimista, ao tentar criar a pedra filosofal, ele criou algo mais útil que Bombril. Outros, dizem que viram o céu se abrir, e dele saiu uma voz: " Este é o meu alimento muito amado. Em três minutos, ele irá salvar sua vida! " (Receitas, 12, 14) Crucificado pela cruzada alimentar dos últimos tempos como alimento "impuro", felizmente ele sempre ressucita em toda compra no mercado.

Miojo Headquarters
Prédio ultra-secreto no Japão, onde hoje é produzido o manjar dos deuses!
Créditos: Wikipedia.

2 - Strogonoff: o famoso "picadinho" com um nome russo. Uma comida simples de se fazer e que salva o fim de semana ou aquele encontro seu quando o risoto queimou. Esse é de criação humana mesmo. Está escrito no livro das Receitas 1, 7. " E no sétimo dia, o Criador resolveu descansar. E o homem ficou sem comida. Então Adão pegou uma machadinha e fatiou um porco do Éden [espécie hoje extinta]. Misturando com o creme de leite saido das pedras [?!], e um pouco de suco da fruta proibida [sempre acharam que era a maçã? Pois é o tomate!], criou um alimento puro e simples. E Adão viveu disso até que o Todo-Poderoso criasse a mulher, para ela ensiná-lo a cozinhar [ou cozinhar pra ele, vai saber as intenções - esse livro é tão machista...]. "

Melhor que uma imagem: uma receita de strogonoff! Culinária Masculina.

3 - Ovo com farinha: essa é uma ilustre desconhecida para muitos. Também, os segredos de seu feitio são uma tradição familiar consolidada por séculos de experimentação. A arte milenar de se juntar a farinha de milho a dois ovos recém fritos e partidos demonstra o intelecto avançado do ser humano. Tão pesquisada por diversos cientistas, entre eles Murphy, que concluiu duas regras básicas:
- O seu primeiro ovo com farinha queimará.
- O seu segundo ovo com farinha sairá salgado.
A criação desse prato remonta ao tempo das bandeiras. No mato sem cachorro, os bandeirantes pegavam ovos de pássaros e os misturavam com a farinha de milho que levavam em abundância [pois esta não se estragava com as intempéries]... Apesar do que muitos pensam, muitas bandeiras não usaram a violência. Alguns índios renderam-se ao poder da combinação fantástica.

Ovo com farinha fail! Não encontrei imagens! O.o Então, como se faz, pra você ver ao vivo. Frite dois ovos. Quando estiverem quase prontos, fure as gemas, coloque um tanto bom de sal e parta tudo com um garfo, ainda na frigideira. Quando tiver parecendo um desastre - esse detalhe é importante! - acrescente um pouco de farinha. Mexa sempre até a farinha esquentar, e desligue o fogo. Pronto!

4 - Suco de caju: o que faz uma bebida num post sobre comida? Não tente me entender. Mas, sendo também milagroso, o suco do pseudofruto do Anacardium occidentale não poderia deixar de figurar entre os grandes. Quando você chega em casa morrendo de sede, e quer algo além de água, é na geladeira que você encontra o derradeiro néctar dos deuses. Incrível como sempre ele é achado em qualquer lar mais ou menos saudável. Tá também no livro das Receitas 12, 16. " E o filho do Homem pegou um caju e disse: com esse pseudofruto, alimentarei uma multidão. E separou o fruto da semente. E assim feito, multiplicou tanto que parecia uma imensa calculadora. E o povo de Cafarnaum comeu castanhas e tomou suco de caju por três dias seguidos. Até que disseram: 'chega, né?!' e o crucificaram."

Um suculento caju - note o pedestal onde ele está!
Créditos: Herbos Cosméticos - caju trata frieira também! Viva o caju!

5 - Bucha: essa é para os fortes de espírito. Uma intervenção divina ministrada por farinha [qualquer tipo] - transforma aquele arroz de segunda-feira [escrevo sábado] e o feijão velho [mais ou menos 4 dias] em algo comestível, mas de aparência não muito legal. É a salvação de quem precisa jantar rapidamente. Pode ser acompanhada por ovo, carne, verduras. Curioso do nome? É porque ela sai da panela para o prato parecendo uma massa unificada, pesada. Lembra uma bucha de canhão. Pelo peso, pode fazer você ter pesadelos, mas mata qualquer fome sem gastar muito. A criação é humana também. Receitas 14, 2. " E o criador do angu viu que precisava de um acompanhamento para o seu novo prato. E eis que desce dos céus um lençol [?!] cheio de farinha, e ouve-se uma voz: ' Coma o alimento vindo dos céus! ' [Notou que a farinha veio do Paraíso, né?] E o apóstolo, que não é bobo de encher a boca só de farinha, a misturou com arroz e feijão. Mas o Criador o condenou por tornar tal dádiva tão impura e repugnante, e o fulminou com um raio. Shazam! "

Um mercado de farinha no Quirguistão.
Note que não há vendedor, nem ninguém vigiando. Afinal, quem ousaria roubar de um templo?
Créditos: Wikipedia.

Espero que tenham saciado a fome por conhecimento inútil, e ficado com fome real mesmo. E lmebre-se: num momento em que "sobra mês no fim do dinheiro", você poderá ser salvo por esses pequenos milagres cotidianos. Até mais...

"A gente não quer só comida/A gente quer comida/Diversão e arte/A gente não quer só comida/A gente quer saída/Para qualquer parte..." - Comida, Titãs.
W40k 1 - Bem-vindos, estranhos leitores dessa coisa aqui. Após um período de recesso - tanto mental quanto laboral, estendido com a colaboração de nossos amigos suínos, volto a postar nesse blog que já é quase uma cidade fantasma. E, falarei de um dos meus passatempos favoritos - de todos os tempos. Podem me criticar, mas gosto bastante dos chamados jogos de computador - PC Games, para os íntimos. Não chega a ser um vício, mas está beeeem próximo desse limiar kkkkkk.

E, nessas férias suínas, falarei de alguns. A oitava arte - como já foi descrita a computação gráfica - mistura-se em alguns aspectos com a literatura. Falando sério, um filme com uma boa história é excelente. Mas um jogo com uma boa história é primus inter pares. E após essa rasgação de seda descarada, vamos ao que realmente te trouxe aqui. Nada de Google Catcher - tenho moral e princípios.

Warhammer 40000 - Dawn of War

Incrivelmente, ouve uma época onde crianças - até 75 anos, mais ou menos - se divertiam somente com jogos de tabuleiro. E, a Games Workshop, uma empresa especializada nisso, criou há muito tempo, a série Warhammer. Chamado carinhosamente de tabletop, a versão "real", com modelos e uma grande história - contada em forma de Codex, um livro de regras - ganhou uma versão digital. Pouco notado pelo mercado brasileiro - especializado em jogos de corrida e first person shooters, [Em tempo, nada contra. Mas variedade é ponto a favor, né...] o Dawn of War da THQ, Relic Entertainment e da finada Ironlore é uma das perólas do real-time strategy game. Pode ser comparado até a blockbusters do gênero, como Warcraft, Age of Empires e Starcraft. Assustadoramente, pode até mesmo ganhar em jogabilidade.

O plot é o seguinte: por volta do ano 40000, [Isso mesmo. Trinta e oito mil anos no futuro.] a humanidade criou um vasto Imperium pela galáxia. Administrado com mão de ferro pelo Imperador da Humanidade - uma carcaça mantida viva num trono tecnológico, mas necessária à coesão dos humanos - esse Imperium enfrenta desafios internos e externos. São no total nove facções jogáveis totalmente diferentes na última expansão... falarei de cada tropa em posts separados. É tanta história que daria um bom filme. Ou uma série deles.

Imperial Guard
Começarei com uma das mais interessantes - apesar da premissa comum. A Imperial Guard é a tropa principal do Imperium. Não são responsáveis por quase nenhuma conquista, são mais tropas estacionadas em cada planeta. Mas são a espinha dorsal da humanidade. Seus soldados são recrutados aos montes nos bilhões de humanos disponíveis. A tática - se é que existe alguma - é a bucha de canhão. Como bem dizem as tropas quando clicadas: "For each of us who perish, two more will take place!" O toque de humor é visível nas tropas. Algumas frases...

"Taking was easy. Holding, will be hard!" - Guardsmen.
" If you don't serve in combat, you will serve on the fireline!!!" - Comissar.
" I already know what you want." - Sanctioned Psyker.
" Fear me! But follow!" - Comissar.
" An easy matter for one with my skills!" - Techpriest Enginseer.

" The enemy is upon us! What shall we'll do?" - Guardsmen.

Créditos das figuras: este fórum.

Cada Guardsmen é instruído a ser um escudo humano para o outro atrás dele. E assim, atirando soldados aos inimigos, a I.G. consegue suas vitórias. Com o processo de avançar tecnologicamente no jogo, a I.G. ganha acesso a muitos veículos especializados, e esses blindados fazem toda a diferença no final. O melhor veículo, o mega-über tanque Baneblade pode sozinho passar por cima de uma base inimiga. Está jogando contra a I.G.? Use armas contra a moral dos soldados: lança-chamas, por exemplo. E uma bem posicionada metralhadora pode pôr fim a esquadrões inteiros desses pobres combatentes.

Jogando com a I.G.? Use a força dos números. Uma metralhadora pode detonar um esquadrão, certo? Arme dez esquadrões com lançadores de granadas e jogue-os em cima da metralhadora. Procure conseguir o apoio dos veículos. Vencer sem eles com a I.G. é tarefa inglória. O herói, o Comandante - não é por si só muito forte. Mas, combinado com os integrantes certos em um esquadrão de elite, pode aniquilar tropas inimigas.

A primeira expansão a trazer a I.G. foi a Winter Assault. Basta digitar Warhammer 40000 em sites especializados em jogos para ter acesso a sinopses e demos. Cuidado que há outro Warhammer - ambientado na Idade Média.

Por hoje, é só. Fiquem em paz por aí. E testem esse jogo, vale a pena. Um ilustre desconhecido, que me divertiu muito nessas férias. Num futuro próximo - os super-soldados, os Space Marines.
ÓCIO DESTRUTIVO - Adjetivados leitores dessa humilde mierda - conforme um próximo acidentalmente me informou... estamos - só eu, por que estamos? Deve ser eu e meu ego... enfim, estou aqui para compartilhar da minha visão de mundo sem dó nem piedade, que, como já diziam os supervilões de outrora, são coisas para os fracos.

É hora da nossa reunião, portanto. Qualquer movimento com o mouse para fora dessa janela - espero que do Firefox - :P - será punido. Ou não.

Keyboard Cat evita [perón]que você fuja do blog!

É fato que essas últimas semanas sem fazer absolutamente nada mexem com a mente humana, e já chega de ficar à toa. Por isso, a escrita aqui é uma válvula de escape (quase uma descarga, pra ser mais exato) para tanto pensamento acumulado. E como o escriba aqui é do tipo que vai ao mercado planejando o itinerário dentro do estabelecimento - o que rende batidas em postes e transeuntes pelo caminho - é um acúmulo estrondoso; aguente, sem trema, minha verborragia, mwaahahahahahha!!!!

1 - Michael Jackson, assassinado? Mais essa. Dizem agora que o popstar foi assassinado acidentalmente pelo médico particular. Estou vendo que isso ainda vai render muita areia - e muita matéria, pra mídia internacional. E para os empreendedores - se você mandar um SMS pra um número lá, receberá as músicas de MJ no seu celular. Coisa inútil, não? E cara.

2 - As saudades de um 486. É isso mesmo. Uma sessão nostalgia me lembrou de quando um computador era visto com aqueles botões Turbo - que dobravam a velocidade do processador. se era só apertar um botão, por que bulhufas o processador já não operava por default no dobro? * Atenção, comunidade nerd - essa pergunta foi retórica! Não me venham com comentários. ;)

IBM - com função turbo, e disquetes de 5,25 polegadas!
Seu por 24 X US$ 354,00. Preço real, na época.
Crédito: Coding Horror

3 - Felipe Massa e as bruxas. Agora que já vi que o cara está bem, meu pudor por sacanear o fato foi pro beleléu (gíria do vovô). Quer maior ironia que ser atingido por uma peça do Rubinho? [Incrivelmente, na frente?] A bruxa está solta no automobilismo. Tem inclusive gente pegando fogo na Indy. Sabe um dos candidatos para ser o estepe de Massa caso ele não volte esse ano? Sim, M. Schumacher. Poxa, Schuma - deixa os outros brincarem também! Fãs do esporte [?], perdoem minha ignorância, nem tentem me explicar nada.

4 - O jornalismo. É... parece que retirar o requisito de diploma ligou o palhacinho dentro de cada jornal da TV. Inclusive, vi hoje uma reportagem sobre a Monga, a famosa mulher que vira macaco com um truque de espelhos - sorry, kids... - Num jornal de renome, pasmem. Amenidade tem limite - ou pelo menos, tinha.

5 - A gripe suína. Ou "A". Ou H1N1. Ou o raio que o parta! Essa gripe é igual aos políticos corruptos, anda livremente pelo Brasil. Mas dificilmente chega onde precisa. Tem lugar por aqui que merecia uma pandemia. Talvez limpasse. Eu disse talvez.

6 - Nicolas Sarkozy e a estafa. O presidente da França - país que lembro dos croissants, e de pessoa não-mencionável aqui - desmaiou devido ao calor [europeus não sabem o que é calor] e aos exercícios físicos, em conjunção com o excesso de trabalho. E já se recuperou. Agora, totalmente sem relação, venho dizer que há políticos brasileiros que são imunes aos desmaios. Será o frio que faz aqui, o sedentarismo ou a falta do que fazer, assim como eu?

Explicada a estafa: Sarkozy, faz bem ficar em casa, non?
Detalhe - queria ter estafa nessas condições... :D
Créditos: Times Online

7 - A moral e os bons costumes. Ando [devagar porque já tive pressa...] raivoso [hidrofóbico] com certas colocações de gente que se acha acima dos outros. Como venho dizendo, hipocrisia tem limite. Ou não. Posso ser esse "amor" de pessoa com vocês leitores, mas pelo menos nunca lavei as suas cabeças, em um sentido metafórico.

Logo nos veremos novamente de novo, pleonasticamente. Aleatoriamente.

E todos os entes - queridos ou não.

P.S.: Ultimamente, venho lotando isso aqui de política. Desculpem a sujeira...

"Eu que não me sento/No trono de um apartamento/Com a boca escancarada/Cheia de dentes/ Esperando a morte chegar..." - Raul Seixas, Ouro de Tolo.
PEDACIM DE TERRA - Então, caipira leitor. Nós, aqui do interior[rrr], temos uma mania interessante de querer possuir um "pedacim de terra pra mó de podê prantá mio, mandioca e fejão". Assim também era Juvenildo, morador do interior do Pará. Juvenildo não tinha onde cair morto... desde a época dos garimpos, no final da zicada década de 80, ele procurava comprar a sua terrinha. E aí começa sua história.

A incrível história de Juvenildo, o maior latifundiário do Brasil.
Uma parábola [política] em um ato só, porque tenho preguiça de escrever...

Final de 1988... com a nova Constituição brasileira - garantindo um salário mínimo que atende o básico, como alimentação, moradia, vestuário, lazer, o carro do ano, a viagem pra Argentina e otras cositas más, Juvenildo se animou. Largou o Movimento dos Sem-Terra. Casou-se de verdade com a Henriqueta, filha do português dono da padaria do garimpo. E se mudou pra mais uma das cidades fantasmas marginais ao lamaçal chamado pomposamente de Transamazônica...

Juvenildo era persistente, e nunca desistiu de seus sonhos. Sonhos estes, movidos à carvão, que tirava impunemente da mata nativa. Na verdade, tirava com apoio da sociedade... até que um lindo dia, a mata acabou. E Juvenildo ficou com um pasto. Criou algumas cabeças de gado, até que a erosão dominou aquela terra pobre em nutrientes. Nem capim nascia ali. E com seus 14 filhos, e já dois netos - as meninas mais velhas tinham engravidado ano passado - passou a ter dificuldades para sustentar a casa. Isso até que...

Não, Juvenildo não moreu. Naquele cafundó onde Judas perdera o solado das botas, e morrera de febre amarela, não havia onde cair morto, nem trabalhar. Exceto na prefeitura mantida com repasses do Governo Federal. Isso, nos idos de 1995. Juvenildo se tornou funcionário público, por provar que sabia a diferença entre Deputado e Prefeito; e o "Niltinho", como ficara conhecido, era o típico "Jeca-Tatu" de repartição. Falava quase nada, acatava tudo. Mas um dia, sua sorte mudou.

Apareceu o sobrinho do prefeito, vereador [qualquer relação entre os poderes é MERA coincidência]. E ofereceu ao Niltinho R$ 5000,00 para que ele assinasse um papel. Niltinho "carcou" seu polegar direito numa velha almofada para carimbos e "assinou". Agora, teria sua casinha melhorada, numa época em que cinco mil reais eram dinheiro suficiente. E, após sua reforma, Juvenildo se esqueceu de tudo isso. Até que saiu a notícia...

Em 2009, pleno século XXI, descobrem no cartório de sua cidade um velho documento. Juvenildo se foi em 2007, vítima da silicose pega no garimpo. Tinha 52 anos. Mas, apesar de morrer cedo, deixou à Henriqueta do seu Manoel uma herança grandiosa. Metade do Brasil.
................
Placa na entrada da cidade de Juvenildo
"Aqui também é Brasil!"
Créditos: 100eira nem beira, legal o blog.
....................

RIP, Juvenildo. Essa história é só pra ilustrar os absurdos que ocorrem por aí. Como essa notícia, divulgada ontem. Metade do Brasil!!! Apesar dessa história ser ABSOLUTAMENTE INVENTADA, ela é plausível. Niltinho é mais um dos queridos "laranjas" brasileiros. Que se venderam sem saber. E morreram sem saber. E o sobrinho do prefeito... hoje deve ser Senador. Nada a declarar, pois ele se lixa para a opinião pública. E mais uma vez, a corrupção se alastra, e grilagens como essa continuam acontecendo.

É o Brasil, né? Contente-se!

Até a volta,
Expectatore.

"Power corrupts only the few because only the few have power." - Leonid S. Sukhorukov, All About Everything (2005)
ZEPELIM - Então é isso, indecoroso leitor. Aqui estou, ao MEU bel-prazer - e não ao seu dispor - escrevendo algumas das minhas "postagens".

E pra variar um pouco - chega de teoremas, reticulianos e outras nerdices. Vamos falar de música. Eu sei, leitor, meus gostos são um tanto quanto, digamos... ecléticos. Mas estou nem aí pro SEU gosto musical. Vou dizer a impressão que tenho de uma música do Chico Buarque... Geni e o Zepelim.

Aqui vai a letra.... para os que perderam a chance de ouvir a bela melodia!

Geni E O Zepelim

Chico Buarque

Composição: Chico Buarque

De tudo que é nego torto
Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada
O seu corpo é dos errantes
Dos cegos, dos retirantes
É de quem não tem mais nada
Dá-se assim desde menina
Na garagem, na cantina
Atrás do tanque, no mato
É a rainha dos detentos
Das loucas, dos lazarentos
Dos moleques do internato
E também vai amiúde
Com os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir

[Perceberam que tipo de pessoa é ela, né? - Se não, ¬¬]

Joga pedra na Geni
Joga pedra na Geni
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni

[Preconceito descarado, não?]

Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante
Um enorme zepelim
Pairou sobre os edifícios
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim
A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geléia [Geléia! kkkkkkkkkkk]
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo - Mudei de idéia
- Quando vi nesta cidade
- Tanto horror e iniqüidade
- Resolvi tudo explodir
- Mas posso evitar o drama
- Se aquela formosa dama
- Esta noite me servir

[Ê, comandante! Não dispensa nada, hein?]

Essa dama era Geni
Mas não pode ser Geni
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni

[Ninguém aceita quando acontece...]

Mas de fato, logo ela
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro
O guerreiro tão vistoso
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro
Acontece que a donzela
- e isso era segredo dela
Também tinha seus caprichos
E a deitar com homem tão nobre
Tão cheirando a brilho e a cobre
Preferia amar com os bichos [Uma p*** de princípios - O.o]
Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão
O prefeito de joelhos
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão

[As classes exploradoras, como diria o tio Marx. Kkkkk.]

Vai com ele, vai Geni
Vai com ele, vai Geni
Você pode nos salvar
Você vai nos redimir
Você dá pra qualquer um
Bendita Geni

[Agora, é bendita, né? Gostaria de ver essa cena.]

Foram tantos os pedidos
Tão sinceros, tão sentidos
Que ela dominou seu asco
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco
Ele fez tanta sujeira
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado
Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir

[Final triste... e que mostra o preconceito!]


Joga pedra na Geni
Joga bosta na Geni [Chico Buarque cantando "bosta" é o máximo!]
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni

Concluindo, leitor. Dê um jeito de escutar isso, a melodia é ainda melhor que a letra. E ilustra a história de uma vida qualquer. Por mais que seja uma p***, Geni é uma pessoa com bondade inata. Fora da nossa - ou sua, melhor dizendo - concepção de moral e ética. E, mesmo sendo a "salvadora" da cidade, recebeu um grande "prêmio" - a continuação do preconceito. Aterrorizante, e assustadoramente real.

Até um dia por aí, quando estiver de bom humor de novo...

O Zepelim da Geni.
A foto é antiga, porque a mentalidade é atrasada...
Créditos: http://www.museudantu.org.br/Parana/paran05.jpg

"Acredite não em algo, mas nas pessoas. É melhor..." - Mr. Expectatore.